JAIME PRADES
BLOG       OBRAS       TEXTOS       CONTATO
NA MÍDIA           CATÁLOGOS           EDITORIAL           JAIME PRADES
MAC SOROCABA 2019
TRIANGULAR 2019
COSMOPOLIS 2019
SESC SÃO JOSÉ 2018/19
SESC BIRIGUI 2017
NATUREZA HUMANA
À DERIVA 2014
BIO
EXPOSIÇÕES
ENCONTROS COM JP
ENCONTROS COM JP
Agende a sua visita pelo 11 3872.4289 ou pelo e-mail: casateliejp@gmail.com - mais informações nos textos abaixo.


Vocês estão convidados a visitar a casateliê de Jaime Prades e Neta Novaes. Nessa casa, onde se vive e se cria sem parar fazem 30 anos, o artista guiará vocês pelas suas obras e seus pensamentos. Penetrar na intimidade do artista é uma experiência complementar necessária para ampliar o olhar e a compreensão das artes visuais. Há algo radical em fazer pintura, em dedicar-se a essa artesania anacrônica, fora do tempo. Assim como há algo necessário e permanente que é a paixão pelas artes que nos enleva desde as pinturas rupestres. Estamos na rua Herculano, 133, perto da estação Vila Madalena do metrô. As pessoas adoram vir aqui! Nós adoramos recebê-las. Gostamos tanto que inventamos esses encontros. Venham! Para agendar podem nos ligar pelo 11 3872.4289 ou escrever pelo e-mail: casateliejp@gmail.com


Antes do grafite ser chamado de grafite: "Foguete vermelho", 1987, num túnel de São Paulo.

Jaime Prades surge na cena artística nas ruas da cidade de São Paulo nos anos 80. Com quase 40 anos dedicados à arte, a sua obra está entrelaçada com essa cidade. Nascido na Espanha, filho de brasileira com uruguaio, o seu olhar não pertence a Espanha, ao Brasil e, paradoxalmente, nem mesmo a São Paulo. Olhar estrangeiro, estranho olhar ao Brasil, sempre resvalando sobre identidades definidas. Escapando das unanimidades, construiu sua obra sem freios formais, sem alinhamentos tendenciosos. Ela é caracterizada pela liberdade criativa e por pesquisas com materiais bastardos, incomuns. Desde 2015 dedica-se totalmente ao desenho e a pintura. Vocês poderão conhecer as obras, as histórias e os pensamentos do artista aqui, na casateliê. Como ele disse para nos lembrar que a virtualidade empobrece nossa relação com a vida: "Arte, ao vivo, é muito melhor!". Aguardamos vocês!